A um passo longe da responsabilidade

domingo, 3 de outubro de 2010

Vou usar a frase que o Julio Câmara, o famoso Rica, usou quando tomávamos uma cervejinha após o jogo. O torcedor avaiano está enfunchado.

O torcedor avaiano percebe que se tornou refém do grupo de jogadores que neste ano envergam as camisas e calções com as cores azuis e brancas do time. Ele sabe que não tem alternativa, a não ser ir pra Ressacada e apoiar o time. Apoiar este grupo de jogadores. E sabe que é o mesmo grupo que semanas atrás colocou o clube nesta sinuca, refugando a sua responsabilidade.

Ora, qualquer pessoa que já tenha batido uma bolinha entende que o futebol é jogado no coletivo. Ou seja, diversas pessoas se reunem para fazer a bolinha ir daqui pra lá e trazê-la de lá pra cá, até sair o gol. É assim naquela peladinha de beira de praia, tanto quanto na Champions League. E esse mesmo coletivo é capaz de afirmar, categoricamente, por uma dissidência que nem Freud explica, mas Max Weber da economia evangélica sim, que quem quer faz, quem não quer, manda.

Pois estes quereres fizeram os jogadores do Avaí, neste ano, puxarem o freio de mão. Contratos e patrocínios teimosos, direitos de imagem aqui, negociações ali, senões acolá, o fato é que alguns tiraram o pé. Literalmente. E, num belo dia, quando se viu que o sujeito estava sendo enforcado pelos tomates, os mesmos que antes tiraram o pé resolveram pôr o pé de volta.

Ocorre que no futebol a matemática de 2+2=4 nem sempre funciona. Às vezes dá três, noutras dá cinco, e geralmente o cabra é reprovado no vestibular da responsabilidade, ainda que tente algum esforço. E o que resta disso tudo? Bem, se eu não sei fazer a conta, é melhor eu me retirar da sala de aula. Pelo menos a responsabilidade não será minha. Simples assim.

4 comentários:

  1. Rafael F. Abreu disse...:

    Dúvida cruel: Sem Marcinho Guerreiro(titular absoluto), e sem Rudinei(titular não absoluto), automaticamente seus substitutos são: Diogo Orlando e...BRUNO?! No futebol moderno o 2nd volante tem que além de cercar o meio na marcação quando defende, é ele quem entrega as jogadas aos meias quando ataca, se não for ele mesmo quem faz as jogadas, inclusive com qualidade no chute de fora da área, um ótimo exemplo: Léo Gago. Daí me colocam o Bruno, que não tem culpa de ser escalado, mas que não serve pra jogador, e o Rodrigo Thiesen nem no banco estava!!! Confesso que só vou parar de mencionar o Thiesen, quando ele tiver o mesmo tanto de chances que tiveram Batista, Bruno, Cristian, Rafa Costa, Marcos, Diogo Orlando e até o Rudinei, e mosrtar que ele realmente não serve nem pra reserva desses cabeças de bagre!

    Abraço

  1. Desde quando o bunda mole, borra botas do Diego Orlando tem moral para ser nosso capitão?
    Se conseguirmos escapar da zona encômoda, farei questão de ir a ressacada vaiar e chingar todos os ''guerreiros'' safados que nos colocaram nessa situação, e exigir a dispensa dessa corja nojenta que envergonha o manto azurra.

  1. Sou Avaí disse...:

    Não adianta espernear. Estamos fadados a continuar sendo um time sem inspiração enquanto continuarmos a insistir em jogar sem Técnico. Edson Neguinho, não é técnico e nem motivador. O Avaí precisa urgentemente contratar um técnico que motive este bando de desmotivados que invadiu nosso time. E haja DM pra tanto dodói!

  1. Infelizmente só a torcida é que fez a sua parte.
    A diretoria não fez, os jogadores resolveram não fazer. Estão colhendo o que plantaram, nós estamos indgnados por não fazer parte dessa palhaçada.

Postar um comentário

Os comentários aqui postados sofrerão moderação. Anônimos serão deletados, sem dó, nem piedade.
Não serão aceitos comentários grosseiros com palavrões, xingamentos, denúncias, acusações inverídicas ou sem comprovação e bate-bocas.
Não pese a mão. A crítica deve ser educada e polida.

 
Força Azurra © 2011 | Designed by VPS Hosts, in collaboration with Call of Duty Modern Warfare 3, Jason Aldean Tour and Sister Act Tickets