Copa do Brasil é obrigação

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Passadas as etapas finais do campeonato mais fácil de se ganhar e jogado pela janela pelo Avaí, vou me apropriar de uma frase da participação da Aninha Bona, que li por aí, e dizer que é hora de se pensar na Copa do Brasil. E pensar de maneira séria. Sem nhénhénhém e sem firulas. E sem desculpas esfarrapadas. É um título que falta na galeria de troféus do Avaí. O momento é de concentração e foco no próximo adversário.


Ainda sobre o catarinense, para mim é inadmissível que Avaí, e mesmo o time doladelá, fiquem de fora das decisões. Por isso, discordo dos meus amigos quando dizem que fomos longe demais. Não, fomos aonde deveríamos estar, que é disputando uma final, um título. O problema é que não nos preparamos devidamente para isso e jogamos displicentemente o campeonato. Enquanto o técnico se preocupava em fazer uma casa, ao invés de jogar futebol, nos bastidores muita gente falava abóboras e pouco agia. O resultado, evidentemente, não poderia ser outro. O resultado no jogo de ontem foi a repetição do comportamento do Avaí no campeonato.

Fica como consolo a ajuda que demos aos brocolinos para que usassem seus fogos estocados, pois já estavam perdendo a validade.

Em relação aos campeonatos em que participamos, há muito que cobro uma postura mais impositiva do Avaí. Chega de ser coadjuvante, vamos ter que partir para vôos mais altos. Basta de se conformar com resultados medíocres em nível nacional (ou até mesmo no estadual), por se achar pequeno. Nada disso. Sala de troféus e história não ganham campeonato. São o resultado e não o requisito. Tampouco folhas de pagamento são atestado e garantia de boas campanhas. Ajuda, mas competência não é algo etéreo. Tradição pode inclinar decisões da mídia, de árbitros, mas time que quer ganhar campeonato tem que pôr a bola no campo, jogar futebol e não se incomodar com as faixas dos adversários, ou quiprocós abobados.

Por isso, penso que o Avaí tem que se impor nestes jogos da Copa do Brasil. Entrar pela porta da frente no cenário nacional como um time que quer alguma coisa da vida. Ser protagonista e não admirador das carreiras alheias. A Copa do Brasil é um passaporte garantido para uma Libertadores. E, pelo que nos mostrou o balancete divuldado na última semana, é um dinheirinho bom para o caixa. Portanto, é hora de pensar alto, bem alto.

Ou é isso, ou pode voltar pra casa. Não precisa participar.

6 comentários:

  1. Aninha Bona disse...:

    belo texto alexandre...penso exatamente assim,e acredito não ser soberba, é apenas ter consciência de que PODEMOS SIM GANHAR A COPA DO BRASIL. Se times que nao estavam na série A já conseguiram pq o avaí não conseguiria?? é hora de tomarmos consciência do nosso real tamanho, não somos gigantes, é verdade, mas estamos entre os 8 melhores da Copa do Brasil e os 20 da elite. Então, q entremos com sangue nos olhos, pois, ganhar do SP não é difícil e, muito menos, impossível. Se for pra amarelar que nem entremos em campo!!

  1. Exatamente, Aninha, me inspirei em ti para escrever este texto. Tens toda a razão. Tá na hora de conseguirmos alguma coisa grande.

  1. Celso disse...:

    Em primeiro lugar, o pensamento seria muito correto se tivéssemos um técnico pelo menos com 3º grau incompleto no curso de futebol e não um projeto de técnico que ainda está tentando passar no ensino médio do futebol.
    Em segundo lugar, diferentemente do catarinense onde o Avaí era melhor individualmente, fora Atlético-PR e Ceará, todos os outros são melhores que o Avaí coletivamente.
    Até acredito e reconheço que o Silas encontrou uma boa formação no clássico e repetiu ontem contra a Chapecoense, com uma linha de 3 zagueiros atrás, outra linha de 3 volantes, dois meias e dois atacantes, mas a forma com que ele realizou as substituições nesses dois jogos me dão poucas esperanças para o Avaí na mão desse desprovido de inteligência, competência e coragem. Sei que errando, errando, errando e mais errando... uma hora ele encontrará alguns jogadores para substituir quando precisar, como fez com Roberto em 2009, mas até lá temo que seja tarde demais.
    É válida a iniciativa de fazer os torcedores acreditarem no título da Copa do Brasil, na teoria, mas na prática vejo que tudo será diferente, pois temos um burro no comando do nosso time que eu não duvido mais nada vindo dele.

  1. Mas eu concordo plenamente contigo, Celso. E minha proposta de ganhar a Copa do Brasil passa exatametne pela saida dele. Meu texto "Quanto vale um título?" chama a atenção para isso. Tenho dito frequentemente neste blog que Silas não é mais técnico pra ficar no Avaí. Já passou da hora, inclusive. Vamos amargar muito pelo retardo da decisão de mandá-lo embora.

  1. Sergio Junior disse...:

    Sim, é obrigação. Se a esforçada AFC pode eliminar o Avai, porque o milionario time Avaiano nao pode eliminar o Sao Paulo. Basta o time seguir confiante, Silas botar o time que a torcida escala e quando for substituir faça o basico, mas que esse basico nao seja a repetitiva retranca.

  1. Só prá lembrar, ano passado eliminamos o "todo poderoso" Santos na Sulamericana. Agora estamos bem desfalcados, é claro, mas aí sim é que devemos nos superar. É hora de honrar a camisa, de jogar como time de série "A", ou seja, de igual prá igual. Vamos dar uma chance pro Robinho (again), Mauricio Alves (quem sabe) e prá estréia de Gustavo Bastos. Vamos acreditar!
    Yes, We Can!!!

Postar um comentário

Os comentários aqui postados sofrerão moderação. Anônimos serão deletados, sem dó, nem piedade.
Não serão aceitos comentários grosseiros com palavrões, xingamentos, denúncias, acusações inverídicas ou sem comprovação e bate-bocas.
Não pese a mão. A crítica deve ser educada e polida.

 
Força Azurra © 2011 | Designed by VPS Hosts, in collaboration with Call of Duty Modern Warfare 3, Jason Aldean Tour and Sister Act Tickets