O fator Silas

sábado, 14 de maio de 2011

É inegável, sob todos os aspectos, a história que existe entre o técnico Silas e o Avaí Futebol Clube. Quem disser ao contrário é insano. É algo parecido com um casamento, mas daqueles onde os dois bicudos não querem se beijar e um tentando provar ao outro mais do que não é.

A torcida do Avaí é desconfiada. Sempre foi. O tempo de vacas anoréxicas, agruras e sofrimentos, a forjou assim. Talvez precise baixar a bola em alguns momentos, mas é da natureza de nossa torcida ser desa forma, crítica e exigente. O técnico Silas, por sua vez, quer provar que é técnico diferenciado, mas falta-lhe a humildade. E, talvez, seja este o ponto de discórdia no conjunto da torcida avaiana com relação a ele.

Vou falar aqui por mim, que me considero crítico em relação a este treinador. Não gosto do seu jeito de dispôr um time em campo. É uma opinião minha, pessoal, a qual exijo respeito. Há gente que não entende, que considera isso revanchismo. Não é! É uma opinião e que será mudada sem rancores ou problema algum, desde que a postura do treinador Silas se adeque ao comum e trivial no futebol, que é fazer um time jogar para fazer gols. Por isso, não bato palmas para parecer bacaninha e nem dou de dedo por uma leniência juvenil.

Claro que alguns não compreendem a minha opinião por um problema mais sério, de escolaridade mesmo, de funcionalidade intelectual. Mas para isso recomendo um bom supletivo, que há aos montes, ou, para casos mais graves, uma volta ao Jardim de Infância. Depois disso, não posso fazer mais nada. A natureza dá um jeito.

Bom, há que se reconhecer que o técnico Silas tem demonstrado uma convicção em suas atitudes. A palavra convicção tem vários significados, de teimosia à personalidade forte. Porém, no futebol, o que vale é a complascência e sensatez. Um técnico de futebol é um homem que erra e acerta como todo e qualquer ser humano, portanto, viver embotado em suas convicções revela, aí, sim, burrice. Burrice esta que, muitas vezes, não significa falta de inteligência, mas de não querer ouvir os contrários (poxa, eu tenho que explicar isso?).

Um técnico de futebol não deve pôr um time em campo para satisfazer suas vaidades. A frase "não preciso ouvir a torcida para mexer no time", dita por dez entre dez técnicos de futebol revela arrogância e prepotência e vai ao encontro dessa minha opinião a respeito deles. Até porque, eles possuem uma responsabilidade, que é analisar de fora do campo o seu time e fazê-lo jogar futebol. Nada mais que isso. Mesmo a sofrível alegação de que ele acompanha os treinos revela desconhecimento do futebol, pois qualquer um que tenha batido uma bolinha básica, que tenha a unha do dedão quebrada por ter dado uma topada num campinho de barro, sabe que treino é treino, jogo é jogo.

Para serem vitoriosos, os técnicos devem passar confiança, respeito e admiração para todos num estádio de futebol e não para o seu ego. E o técnico Silas ainda não fugiu desse lugar-comum.

O técnico Silas poderá fazer história no Avaí, selando definitivamente o seu nome na galeria dos homenes que ajudaram o Avaí a ser grande. Aliás, grande, não, a ser enorme, pois grande são os outros. Para isso, deverá aplicar o fator Silas, que passará a ser um referencial de técnico diferenciado, aquele que entende os humores do jogo e ajuda o time a vencer e conquistar títulos. É só o que nos basta.

9 comentários:

  1. Em poucas palavras, acho que Silas está amadurecendo, deixando um pouco a teimosia de lado, vendo mais a real situação do Avaí, do elenco, está analisando mais friamente, ou seja, acho que deu uma boa evoluida!

  1. Matheus disse...:

    Agora vão me dizer que o Silas é que está amadurecendo?
    Outra, desencana um pouco Alexandre, falas do Silas e és um que pensas que tudo gira em torno de ti.
    Bem que gostas de usar chapéu, só não queira usar todos.
    Melhor é tu voltar a escrever aquelas bobagens contra a RBS, pelo menos não é contra um avaiano.

  1. Até porque, Dinho, se não amadurecer, técnico é igual a taxi. É só chamar que aparece um.

  1. Matheus, eu escrevo o que quiser, para quem quiser ler. Vai nascer um imbecil a me dizer o que tenho que escrever. Obrigado pela preferência.

  1. ANDERSON disse...:

    Onde que eu assino? Parabéns.

  1. Anônimo disse...:

    Conheço 2 blogs avaianos que agora possuem como motivo principal de sua existência a implicância de um com o outro. Visito os 2 diariamente, e a impressão que tenho é que a prioridade deles não é mais o Avaí.

    Sobre o Silas, também fico puto às vezes e corneto bastante. Normal, torcedor é assim mesmo. Mas tenho que reconhecer que o time vem evoluindo já faz algum tempo e tem dado certo, parte por ele escutar o apelo da torcida e parte pelos méritos pessoais dele, que sabe anular o jogo das outras equipes.
    Lembra quando o Felipão resolveu não levar o Romário para a Copa de 2002, e foi amaldiçoado por todos os brasileiros? Mas deu certo, e ele voltou para o Brasil como herói. Pode acontecer algo parecido no Avaí. Torço por isso, avaiano que sou.

    Abraços

  1. Espero que sim, ANÔNIMO, pois tudo o que faço é torcer pelo Avaí, para que as coisas dêem certas.

    Em relação às tais respostas, registro que minha prioriade continua sendo o Avaí, mas quando se é insultado, o mínimo que se pode fazer é tentar argumentar. Embora reconheça que para imbecis a razão lhes escape, prefiro seguir a lógica de parecer idiota, diante de idiotas que querem parecer inteligentes.

  1. Eron disse...:

    Ele descobriu que a torcida entende de futebol, ia ficar muito feio para ele manter aquele esquema retranqueiro.
    Eron

  1. Hahaha! Boa, Eron. Essa foi ótima.

Postar um comentário

Os comentários aqui postados sofrerão moderação. Anônimos serão deletados, sem dó, nem piedade.
Não serão aceitos comentários grosseiros com palavrões, xingamentos, denúncias, acusações inverídicas ou sem comprovação e bate-bocas.
Não pese a mão. A crítica deve ser educada e polida.

 
Força Azurra © 2011 | Designed by VPS Hosts, in collaboration with Call of Duty Modern Warfare 3, Jason Aldean Tour and Sister Act Tickets