O descarte de um bem precioso

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Dizem os entendidos da psicologia comportamental que a melhor forma de se conhecer uma pessoa é analisando o que ela joga fora. O que se despreza tem mais valor do que aquilo que colhemos. Pode parecer um contra-senso, uma lógica às avessas, mas é questão para ser observada. As escolhas que fazemos refletem a nossa personalidade.

Temos, os humanos, por atitude não corrigir o que é bom, pela simples razão de que o que é bom é bom. E não se fala mais nisso. Vamos atrás, então, da correção dos erros. Procuramos a cada dia economizar energia em busca daquilo que dá certo. Investir no que é certo nos leva à economia. Corrigimos o que dá errado e nos mantemos felizes, leves e fagueiros.

Mas e quando jogamos algo fora por descuido ou mesmo inépcia e incompetência? Quando percebemos que alguma coisa pode ser corrigida, mas deixamos prevalecer o desperdício? Descartamos o que ainda pode ser aproveitado?

Esse exercício de reflexão eu fiz na Ressacada neste jogo contra o Grêmio, sentado em minha cadeira alugada e assistindo a um desperdício. Como fomos perdulários. Como jogamos fora a possibilidade de economizar energia. Como seria tão fácil ter corrigido os erros quando ainda era possível e preferimos deixar assim mesmo, gerenciando o prejuízo no futuro.

Algumas crianças próximas a mim neste domingo, ali, no estádio, fantasiaram-se para o Avaí. Pintaram corações nos rostos, vestiram-se de azul  e branco, levaram bandeiras e papel. Cantaram, dançaram e gritaram pelo Avaí durante os noventa minutos, com a energia própria da idade. Saíram, após o jogo, cabisbaixas e tristes. O Avaí desprezou o que tem de mais valor.

Não é preciso psicologia comportamental para explicar isso.

13 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Caro Aguiar;

    Concordo que algumas coisas são tão óbvias que dispensam a análise técnica. Por exemplo: Como conceber que algo que está dando certo é trocado por algo duvisoso, inseguro e aventureiro??
    Pois bem, e assim como o AVAI está desprezando a energia de seu torcedor, desprezou também todo o trabalho de longo prazo.
    Lamentável!!!!
    Abraços:
    André Luiz Rosa

  1. Complicou mesmo, Aguiar! Foi lamentável ver um time sem tesão ontem. A vitória era crucial, e mais uma vez deixamos escapar. Falhas individuais? Sim, mas não só isso. Faltou garra mesmo, garra de quem quer permnanecer na elite. Enquanto ainta tivermos chances eu vou acreditar, como sempre acreditei, irei em TODOS os jogos, até o último minuto do último jogo do campeonato, estarei lá, incentivando e apoiando meu time do coração.

    O que não pode acontecer é a humilhação que sofri ontem porm um VERME, um INEPTO FARDADO da PM, que me agrediu pelas costas, covardemente, com uma tonfa, onde tive uma lesão na perna (canela) que está enfaixada me causando muitas dores.

    POR QUE ACONTECEU ISSO???
    Vou responder:
    Prá que não soube a "torcida" do GRÊMIO por volta dos 30 minutos do 2º tempo começou a jogar PEDRAS (objetos plásticos, sinalizadores, e até uma cenoura... esta deveria ter entrado escondida no CÚ de algum GAYúcho, com certeza...) na torcida do Avaí. Eu estava com minha esposa e meu filho de 4 (QUATRO) ANOS, sentado ao meu lado e uma dessas pedras quase nosa atingiu. Fui na direção dos policiais que separavam (desorganizadamente) as duas torcidas pra justamente reclamar que os GREMISTAS estavam jogando pedras e tal, foi quando esse PORCO FARDADO, esse ANIMAL, essa VERGONHA de policial, sem saber o que eu estava CONVERSANDO com outro policiaL, me atingiu VIOLENTAMENTE na perna, por trás, mostrando um total despreparo emocional e funcional.

    Só gostaria de perguntar 2 coisas:

    * Prá quê jogar pedras/objetos em torcedores adversários, sendo que somos todos seres humanos, pais de família que estão ali apenas torcendo por seus clubes ???

    * Por quê um POLICIAL (???) se acha no direito de espancar uma pessoa covardemente, quando eu estava apenas conversando e reclamando (e com razão) que esatavam jogando pedras em nossa torcida???

    Aguiar e amigos: Minha tristeza maior é que meu filho de apenas 4 anos, ontem foi pela 1ª vez a um estádio de futebol prta assistir o time que ele tanto AMA, E CHOROU muito, pois assistiu o pai sendo espancado por um policial...

    Será que meu Dudu vai querer voltar ao estádio depois disso???

    Triste e decepcionado!

    *como não tenho mais o que escrever hoje, vou de ctrlc+ctrlv em todos os blogs, infelizmente...

  1. LUGO disse...:

    Aguiar,

    Isso é próprio daqueles que não tem intimidade com o ambiente em que habitam. Colonizadores chegam, invadem, saqueiam, arrasando o paraiso desconhecido e, quando nada mais há ali, o abandonam.
    A história se repete, onde não á comprometimento o que se tem é usurpação.
    Quanto ao Dinho, denuncie ao MP, a Corregedoria da Polícia Militar e traga nomes a público.
    Eu defendo sempre, segurança no interior dos estádios quem tem que dar é o dono do recinto. Estádio é propriedade particular.
    Porque então a Polícia não está dentro das casas noturnas fazendo segurança.
    Polícia Militar tem que fazer policiamento ostensivo e não segurança privada.

    Um abraço.

  1. João disse...:

    É verdade, "Prá quê jogar pedras/objetos em torcedores adversários, sendo que somos todos seres humanos, pais de família que estão ali apenas torcendo por seus clubes ???".

    Continuo: Prá quê jogar bombas em senhores?? Prá quê meu deus do céu, se são todos humanos.

    Quem lê isso pensa que a torcida do avai é santa, sei que não são todos, mas, infelizmente é o que ocorre, especialmente com a torcida do avaí, que está intimamente ligada as várias ocorrências no estado.

  1. LUGO disse...:

    João,
    Como não és Avaiano, faça o favor de te dirigir aos blogs de tua sandisse.
    Sabe-se que episódios acontecem com todas as torcidas e ninguem pode atirar pedras no telhado do vizinho.
    As torcidas gauchas (nela incluida os torcedores, daqui, rivais ao Avai) desrespeitam até o Hino Nacional, como podem apontar o dedo sujo para outras torcidas.
    Cale-se, deixe-nos com nossas feridas, pois que amanhã elas podem ser tuas e não gostaras que a cutuquemos.
    Abraço.

  1. Ah, esqueci de mencionar: na entrada do estádio a GARRAFINHA DE ÁGUA (de bichinho!!!) do meu filho NÃO PODE ENTRAR! teve que ficar la na lanchonete...
    E as PEDRAS E OBJETOS que os Gremistas arremessaram, issoi pode entrar ???????????
    Absurdo!!!!!!!!

  1. Anônimo disse...:

    nao é INEPTO, é INAPTO seu animal

  1. João, só te peço mais respeito com a torcida avaiana. Não somos bandidos. Infeliz comentário o teu.

  1. Dinho, estes meliantes que usam farda tem o respaldo do pitbull da Gaviões. Enquanto ele estiver no comando isso sempre ocorrerá. Esses caras não representam a Polícia Militar de SC.

  1. RESPOSTA AO ANÔNIMO (QUE DEVE SER PM, ou aquele do blog do PDC (partido dos contra) ou......):

    Inepto = Incapaz, não apto, tolo, idiota * dicionário Aurélio

    Vá se alfabetizar!

    Em boca fechada não entra mosquito!!!!

  1. Anônimo, estás falando com um biólogo, portanto, não me ofendes chamando-me de animal. Sou um animal, mamífero, primata. Se você tem algum problema com isso, sugiro visitar um veterinário para identificar se pertences ao reino animal, vegetal, se és um fungo ou uma bactéria.
    Tenho as minhas suspeitas, mas vou esperar o laudo de um especialista.
    Ah, quanto ao termo aí de tua singela correção, vá estudar.

  1. Cada asno que aparece né Aguiar kkkkkkkkkkkkkkk

  1. Dinho, meu amigo, eu gostaria que você não ofendesse os asnos. São bichos valorosos e decentes.

Postar um comentário

Os comentários aqui postados sofrerão moderação. Anônimos serão deletados, sem dó, nem piedade.
Não serão aceitos comentários grosseiros com palavrões, xingamentos, denúncias, acusações inverídicas ou sem comprovação e bate-bocas.
Não pese a mão. A crítica deve ser educada e polida.

 
Força Azurra © 2011 | Designed by VPS Hosts, in collaboration with Call of Duty Modern Warfare 3, Jason Aldean Tour and Sister Act Tickets