A força que nos move é a paixão

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Eu fico pensando no que passa na cabeça de torcedores de clubes como Cruzeiro, Atlético Mineiro, o Paranaense, Bahia, Ceará, mesmo o Coelho de Minas que praticamente está rebaixado. Eles pensam exatamente o que pensamos? Somos melhores ou piores? Quem é o mais sensato dos torcedores? Quem é o Avaí no cenário nacional?

Pois se você que está lendo agora este texto fizer uma breve pesquisa nos blogs de torcedores destes clubes dificilmente encontrará alguma linha que seja postada por algum megalomaníaco, como estes torcedores que há por aqui no lado do Avaí, por exemplo. Aliás, como sou agente infiltrado, e estou a serviço da direção avaiana, como alguns me acusam, afirmo que estes supermen cumprem um papel lamentável e pueril contra as pretensões avaianas.

Mas como bunda e opinião, cada um tem a sua, vamos comendo essa maionese.

O fato é que o Avaí não é uma empresa, uma fábrica, onde se trabalha com planilhas frias e avaliações racionais de desempenho, seguindo uma lógica matemática. É um clube de futebol. Sabe o que isso significa? Que a nossa commodity é a paixão. A gente negocia apoio para que as coisas dêem certo.

As torcidas dos times que elenquei acompanham seus times. Lá eles não pedem rebaixamento e nem desmobilizam carreatas, apoios a treinos e nem festa do torcedor. Público zero nem pensar. Lá existem tantas confusões como há em qualquer lugar. E há oposição aos dirigentes atuais tanto quanto deve haver em qualquer lugar democrático do mundo, para qualquer instituição. Mas eles estão juntos. Não usam isso como mote e essa desculpa dos preços dos ingressos, por exemplo, e de que será difícil agora voltar a encher a Ressacada por causa disso, não existe naqueles clubes. Se tem uma chance, eles aparecem. E chamam todo mundo. É a paixão que os move e não a política ordinária, interesseira e oportunista.

Mas a atitude de quebrar tudo, de começar do zero, de rebobinar a fita parece ser a melhor alternativa para o Avaí, não é mesmo? Que é que há, ô, nós somos diferentes? Somos os últimos biscoitos do paccote, o que resta de gás na Coca-cola?

O Avaí, assim como o outro clube da cidade, são tidos como periféricos no futebol nacional. Poucos dão bola pra gente lá fora. Nossos clubes conquistam suas vitórias em campo ou fora dele com muito suor e sacrifício. E nem sempre dão certo, como a nossa campanha em 2009 e a deles neste ano. É preciso uma conjunção de fatores e não dá para ir descartando assim, de supetão, o pouco que conquistarmos. É preciso valorizar o pouco que nos é obtido. Então, na primeira cara feia, é necessário mesmo agitar a água da bacia? Isso interessa a alguém? Deve interessar a alguns egos hiperinflados com cartas de seguidores borbulhantes, isso sim.

Eu faço diferente. Defendo o Avaí até o fim. Não vou dar trégua para isso e quem estiver torcendo contra vai se entender é com a torcida, que não largou o pé de seu time. Aqueles 8, 9 mil que estão indo e dando um exemplo do que é torcer incondicionalmente serão os mais interessados em festejar, pelo visto. Estão de parabéns, isso sim. São movidos pela paixão.

Cada qual, cada pessoa e cada cidadão tem todo o direito de expressar as suas opiniões. Mas agüentem as conseqüências.

Dou minha opinião, sim, desinteressada, diferente do que pensam. Faço inimigos? Provavelmente sim. Mas a minha consciência eu não traio. A minha consciência é avaiana. E o tempo, ah, só o tempo dará as suas razões.

5 comentários:

  1. George disse...:

    Desculpa sair do assunto, mas o Seu Cunha tá moderando meus comentários no blog dele, depois de ter me chamado de babaca, doente, além de ter mandado eu estudar e parar com o video-game. Hehehe. Apenas por divergir e indicá-lo à presidência do Leão (sério, eu queria ver como seria). Como sei que ele nao desgruda do teu blog, fica o reZistro de que - quem me conhece sabe - sou adepto do debate democrático. Gosto de atacar a ideia, e não o autor dela. Se cometer eventual excesso, tenho peito para pedir desculpas, como já fiz no próprio blog do cara. Não achei que ele ia fugir do debate tão cedo. Abraço.

  1. George disse...:

    Quanto ao texto, assino embaixo, se me permitires.
    É bem nessa tocada.
    Abraços.

  1. George, e tu não percebesse o que eu fiz? Dei uma bela provocada pra ver se a Alice saia do País das Maravilhas. Contou tudo o que eu já sabia, mas ao vivo e a cores.
    Chega desses babacas quererem apitar pra tudo e achar que são mais avaianos do que os outros. Ah, ele lê, é? hehe

  1. Kk de Paula disse...:

    Carlos, assino embaixo do teu post.
    Tem Henrique que age como o Rei Henrique VIII, simplesmente manda matar as esposas e afasta Thomas Moore.

  1. Anônimo disse...:

    O time que deve jogar contra o Corinthias é: Felipe, Daniel, Gean, Caçapa e Cássio e Fernandinho, o meio com Urso, Pedro Ken, Lincoln e Robinho, o ataque com Cléverson, sem subsituir e inventar e Willian. Esse é o time do Avai que está na ponta da lingua, sem Bruno, sem Batista, sem Diogo Orlando, no máximo o Estrada para reserva, e bola pra frente. Se o Toninho não inventar moda e escalar correto, acho que temos uma chance se sairmos na frente do placar e o time se concentrar no jogo.

Postar um comentário

Os comentários aqui postados sofrerão moderação. Anônimos serão deletados, sem dó, nem piedade.
Não serão aceitos comentários grosseiros com palavrões, xingamentos, denúncias, acusações inverídicas ou sem comprovação e bate-bocas.
Não pese a mão. A crítica deve ser educada e polida.

 
Força Azurra © 2011 | Designed by VPS Hosts, in collaboration with Call of Duty Modern Warfare 3, Jason Aldean Tour and Sister Act Tickets