Mais uma da Granja

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Os bichos-cricri da famosa Granja Comigo Boi Não Dança, mais conhecida pelas iniciais CBN-D, a Raposa Felpuda, maledicente e ardilosa, o Sapo Duende, encrenqueiro e eterno inconformado, o Bode Espanhol, velho, muito velho e carcomido, o Ratão do Banhado, que não deu certo em lugar algum e acabou dando na Granja e o Morcego Moicano, que posa de intelectual pra fazer gênero, reuniram-se em volta de uma mesa bicuda para apreciar fotos tiradas na Granja do Vizinho.

- Mas, o que significa (opss!) essas fotos, ô, Ratão? – quis saber de imediato o Sapo Duende, ajeitando a dentadura.

- Pô, você não sabe? – respondeu, resignado, o roedor, babando sobre a mesa. – São as fotos do melhor arrancador de mandioca da Granja do Vizinho. Ele tirou 100 mandiocas em 10 anos, um feito inédito.

- Peraí, como é que é? – ajeitou-se na cadeira o Sapo. – Feito inédito? Arrancar 100 mandiocas em 10 anos?

- Há que se ressaltar as dificuldades para isso, né. – interpelou o Morcego. – Ele tem calo nas mãos e frieira nos pés.

- Então vamo lá! – apartou o Bode Espanhol. – Ele tem o calcanhar virado pra trás, não tem? E as mãos têm cinco dedos, não tem?

- Sim, como todo mundo. – consentiu o Ratão.

- Então cadê a dificuldade? – esganiçou o Bode.

- Uma coisa tem que ser dita aqui, ô. – interveio mais uma vez o Sapo. – Todo mundo que é arrancador de mandioca consegue fazer isso em muito menos tempo. – agora, passando Corega na dentadura.

- Ah, mas você não sabe do melhor. – emocionou-se, efusivo, quase indo às lágrimas, o Ratão. – Ele consegue arrancar mandioca quase sem sair de casa. Põe um chinelinho e vive com a mandioca na mão. Não é uma maravilha? Eu sou fã desse cara, ele é o máximo, o melhor.

- Ah, então o cara é bom, mesmo. – deduziu o Bode Espanhol.

- Pois é, pensando assim, não há melhor que ele. – acompanhou o Sapo Duende.

- Temos que exaltá-lo até não poder mais. – comoveu-se mais uma vez o Ratão do Banhado.

- Até porque, não é nada, não é nada, mandioca no dos outros é refresco. – concluiu o Morcego Espanhol.

- Só pra saber. – interpelou a Raposa Felpuda, ajeitando o cachecol rosa Pink. – Vocês foram ao café com biscoitinhos ontem, lá na Granja do Vizinho?

- Claro, claro! – respondeu o Morcego de bate pronto. – Nisso a gente não pode faltar.

- E tinha brócolis na sobremesa? - perguntou de novo a Raposa.

- Sim, bastante! - respondeu o Morcego Moicano.

- Muito bem! Que espetáculo! – exaltou a Raposa. – Continuez vous!

- Uma coisa tem que ser dita. – interferiu mais uma vez o Sapo. – O discurso de quem arranca mandioca é um e de quem vê os outros arrancando mandioca é outro.

- E por falar em levar mandioca, - expôs mais uma vez a Raposa. – Como é que vai o Leão do Circo do Deba, hein?

- Ah, - respondeu o Morcego. – agora parece que está tudo bem por lá. O pastor de ovelhas, que voltou a ser domador do Leão, está calminho, calminho, não fala mais mal da gente, vive pedindo perdão. É um santo.

- Hum, isso é sinal de desgaste, vocês não acham? – perguntou a Raposa. – Quem muito se abaixa é porque está desgastado.

- Bom, a verdade que ele erra e erra muito. – sentenciou o Sapo. – Ele é muito teimoso.

- Mas ele ainda nem estreou. – apontou o Bode. – Lá na Espanha a gente só dá palpites quando tem alguma razão.

- Pois eu vou dizer o que eu bem entender. – esbravejou o Sapo, derrubando o vidrinho de Corega no chão. – Eu sou pago pra dizer tudo o que eu tenho pra quiser.

- Pago por quem? – golpeou o Bode. – Aqui na Granja Comigo Boi Não Dança o dindin tá curto. Nem pra pagar os espetáculos a gente consegue.

- Pois essa questão de quem paga eu não sei. – arrematou o Ratão. – Mas que tem muita mandioca ainda pra ser tirada e muito café com biscoitinhos pra ser servido, isso é fato. Portanto, de fome a gente não morre.

1 comentários:

  1. Nas Entranhas disse...:

    Parabéns companheiro, muito criativo. Você fez uma leitura maravilhosa desses bostas mortos de fome que trabalham lá.

Postar um comentário

Os comentários aqui postados sofrerão moderação. Anônimos serão deletados, sem dó, nem piedade.
Não serão aceitos comentários grosseiros com palavrões, xingamentos, denúncias, acusações inverídicas ou sem comprovação e bate-bocas.
Não pese a mão. A crítica deve ser educada e polida.

 
Força Azurra © 2011 | Designed by VPS Hosts, in collaboration with Call of Duty Modern Warfare 3, Jason Aldean Tour and Sister Act Tickets