A bola na cara do Marquinhos

terça-feira, 29 de março de 2011

Existem coisas no futebol que só acontecem por puro enxerimento. São coisas dispensáveis, sem o menor sentido, que aparecem de vez em quando igual ao esforço efetuado pelo incauto ao roncar de sua barriga. E como aparecem especialistas para o enxerimento, deusolivre.


A propósito, eu tenho uma máxima de que especialista é aquele sujeito que sabe tudo sobre o Kama-Sutra, mas nunca viu gente pelada.

Pois o enxerimento da vez é em cima de Marquinhos Santos, o Marquinhos Galego. O verdadeiro Marquinhos do Avaí.

Eis que, de uma hora para outra, se resolveu pendurá-lo no prego do açougue para exposição pública. É o bode expiatório da vez. Por causa de seu futebol que não aparece, dizem, então precisa de um banco e é essa a razão de nosso time não deslanchar, arrotam os especialistas em Kama-Sutra, aqueles que vivem na internet fazendo justiça com as próprias mãos.

E as frases mais sem nexo são a respeito de seu salário: “ele ganha muito bem pra jogar”.

Quer dizer, então, que o Marquinhos tem que fazer declaração de imposto de renda pra torcida. Gol de bico custa dez reais, de letra é cinquentinha. E de falta é o que, 100 pila? Até porque, isso é um comportamento irracional, incoerente. "não está fazendo jus ao alto salário que ganha". A discussão não deve ser em função de seu salário, mas de outras coisas. Vista assim, é chinfrin e mesquinha.

Ora, bolas! Um time de futebol se compõe de 11 jogadores. Um zé ruela qualquer com dois neurônios e um par de chuteiras sabe disso. Um time de futebol, também, deve jogar graças a uma disposição tática e um esquema pré-concebido. Há ainda um acordo velado entre os jogadores e seu técnico de como devem jogar. Qualquer time é assim. No time da minha rua é assim. Antes de a bola rolar combinamos entre nós quem faz a meia, que vai pra zaga e quem vai para o ataque. E quem vai pro gol. Estabelecido isso, rolamos a bola e ganhamos ou perdemos de acordo com nossa competência, ou com a do adversário.

Pergunto: se ninguém combinar antes, se não for estabelecido quem marca e quem arma as jogadas, haverá um resultado positivo? Se houver um bando disperso em campo, mesmo havendo um craque no time, isso é garantia de vitória? Quantos times com craques já vimos e que não resultou em coisa alguma?

Que respondam os especialistas de Kama-Sutra. Mas antes de alguém responder, largue do pé do Marquinhos. Ele é o menos culpado disso tudo. Ele faz parte, não é o responsável. Aliás, olhem para o banco de reservas. Ali está o nosso grande problema.

3 comentários:

  1. Eron disse...:

    Conclusão!!!!
    Falta um técnico!
    Eron

  1. Sem dúvida, Eron. Eu já teria mandado Silas embora depois do jogo do JEC.

  1. Sergio Jr disse...:

    Aguiar, mesmo nao concordando com a invasao de privacidade, concordo. Marquinhos é craque, nao esta jogando e deve ser cobrado. É dele que esperamos um lance diferenciado, uma chamada no grupo e uma satisfaçao a torcida. Começamos 2011 sem tecnico e continuamos aguardando ajuda divina para ser campeao. Sabiamos que a Chapecoense vinha babando pelo vexame de 2009, JEC idem 2010, agora é a vez de nosso rival fazer o jogo do seculo, vamos continuar batendo uma bolinha? Pior pegamos uma Chapecoense fragilizada, tomamos um banho, jogamos em casa contra o Criciuma sem o carrapato Carlinhos Santos, outra vergonha. Jogamos contra o fraco JEC desfalcado, o vexame do ano, o proximo sera contra o adversario que até agora nao ganhou fora e esta a tres anos sem nos vencer. Vamos deixa-los quebrar esses dois record?

Postar um comentário

Os comentários aqui postados sofrerão moderação. Anônimos serão deletados, sem dó, nem piedade.
Não serão aceitos comentários grosseiros com palavrões, xingamentos, denúncias, acusações inverídicas ou sem comprovação e bate-bocas.
Não pese a mão. A crítica deve ser educada e polida.

 
Força Azurra © 2011 | Designed by VPS Hosts, in collaboration with Call of Duty Modern Warfare 3, Jason Aldean Tour and Sister Act Tickets