Uma no prego, outra na pata

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

O Avaí tem feito das tripas coração para... errar nesta temporada. Já não há mais o que se diga sobre tudo o que nos acontece em tão pouco espaço de tempo. O fato de termos servido de chacota nem é mais pelas campanhas risíveis, mas pelas decisões pueris. Pois eis que a ultima, agora, é uma elementar declaração de topada na pedra. Falo da contratação de um jogador tido como o salvador de nossas agruras e que servirá de divisor de águas na combalida arrancada à permanência na séria A do campeonato brasileiro.

Quem já bateu uma bolinha, mesmo naqueles solteiros contra casados de fim de tarde após um churrasco, sabe que um jogador de futebol, por mais medíocre que seja, detesta ser substituído. Quem já rolou uma gorduchinha por aí que levante o dedo ao ter-se sentido satisfeito por haver dado a sua vaga para um outro que recém chegou. Ninguém. Nenhum jogador se sente bem assim.

Claro que o discurso do bom-mocismo diz que está ali para somar, que o grupo está fechado, que o professor é quem sabe. Mentira! Ninguém pensa assim. Vale uma entrada pro teatro de marionetes no CIC na próxima semana se alguém provar que um jogador de futebol pensa dessa forma.

Evidentemente que o grupo de jogadores de que dispõe o Avaí é deprimente. E por respeito às suas condições de homens e pais de família eu me reservo aos adjetivos. Mas o elenco não é dos melhores.

Todavia, é o grupo que está jogando, que está tentando se acertar, que precisa de incentivo, que busca uma forma de mostrar que vale alguma coisa. É o grupo que está tomando vaias e ouvindo impropérios da torcida. E eis que o Avaí anuncia a contratação do Jogador, o Cara, Uma Contratação de Impacto, aquele que virá fazer aquilo que os outros ainda não fizeram. Nessa altura do campeonato, vai decretar que os outros são incompetentes e que não adianta mais o esforço, pois quem vem será a nossa redenção.

O time precisa de um jogador bem mais qualificado? Mas é evidente. Porém, agora? E vir na condição que vem, de paraquedas e se sentindo o tal? Desce do avião, põe o uniforme e joga? É assim que funciona? Honestamente, eu já temia pelo pior, mas, pelo que se aproxima, acho que o furo na canoa não tem mais remendo.

E se não der certo, com toda a certeza na semana que vem teremos mais um filme em cartaz: O impacto 2, A Missão. Breve num cinema próximo de sua padaria.

3 comentários:

  1. SergioAvaiano disse...:

    Aguiar a coisa nao anda nada animadora para o Avai. Infelizmente a diretoria em muito tem contribuido para esses insucessos. Se for Lincon o salvador estamos f... e mal pago. Mais um para aumentar a enorme lista do DM.

  1. José Antônio disse...:

    Realmente não da para entender torcedor. O que mais se escuta é que o Avai deve contratar um bom jogador, armador, para o meio campo.
    Eis que a imprensa especula a contratação de Lincoln que está no Palmeiras. Dando uma rápida olhada nos comentários nos Blogs avaianos vejo poucos satisfeitos. Lincoln é um bom jogador sim, e se não estiver machucado seria um grande reforço para nos ajudar a sair da zona de rebaixamento.

  1. José Antonio, que a qualificação é necessária, disso ninguém duvida. A crítica é pela forma e da maneira como está sendo feita.

Postar um comentário

Os comentários aqui postados sofrerão moderação. Anônimos serão deletados, sem dó, nem piedade.
Não serão aceitos comentários grosseiros com palavrões, xingamentos, denúncias, acusações inverídicas ou sem comprovação e bate-bocas.
Não pese a mão. A crítica deve ser educada e polida.

 
Força Azurra © 2011 | Designed by VPS Hosts, in collaboration with Call of Duty Modern Warfare 3, Jason Aldean Tour and Sister Act Tickets