O papel (ão) da imprensa no Brasil

domingo, 11 de setembro de 2011

Assim que os militares tomaram o poder pela força, em 1964, instalando uma das ditaduras mais sangrentas da história das Américas, perdendo apenas para Chile e Cuba, e igualando-se com sobras com Argentina, Uruguai e Haiti, foi necessário aplicar um programa de propaganda do novo governo através de uma rede de mídia. Como toda a ditadura que se preze, formar opinião e tomar cabeças é o primeiro passo para manter-se no poder. Juntamente com os assasinatos, prisões e censura, obviamente.

A rede de propaganda deveria ter um caráter nacionalista, conservador, não contestativa e acrítica. Cínica para alguns atos do governo e mouca para a opinião pública. E que fosse, por isto, de naturaza privada, não estatal. Foi criada a Rede Globo.

A partir desse instante, as gerações de homens, mulheres e crianças desse Brasil-il-il varonil foram sendo conduzidas e manipuladas pela rede platinada. A cultura no Brasil daí em diante, tinha uma cara e um jeito global de ser. Governos e medidas econômicas, aliados a escândalos midiáticos tiveram, por trás, um dedo da rede. Seguindo uma linha editorial de contexto burguês, classe média ascendente, voltada às supostas benesses do capitalismo e condutora dos costumes, a Rede Glbo foi-se impregnando na massa cultura brasileira.

E ao longo dos anos, a Rede Globo foi agregando seguidores e copiadores. Gento dos mais diversos naipes, para conseguir um lugar ao sol, foi adontado a maneira platinada de ser. A RBS, Rede Brasil Sul foi uma delas. Graças a concessões duvidosas e conchavos com o governo dos ditadores, a RBS foi se impondo no Sul do Brasil, alterando jeitos, impondo culturas, seguindo fielmente as premissas da Matriz. De maneira subliminar, ou até descaradamente, as pessoas iam sendo conduzidas pelos encantos e idéias, tanto da Central, quanto da mais famosa afiliada.

Por isso, quando faço constetações à eles, não é por pilantrismo rastaquera, não quero cargos e nem de vantagens daquela gente. Eu tenho 50 anos e já vi o suficiente para lhes dar uma bela banana.

E se William, no jogo contra o América, disse o que disse, não foi para se defender ou imputar culpa naquele tipo de gente pela má campanha do Avaí. E nem transferiu responsabilidades. Ele apenas pediu respeito, coisa que muitos analfabetos funcionais e virgens vestais não sabem o que significa.

19 comentários:

  1. A diretoria do Avaí precisa urgentemente tomar providências contra esse tipo de atitude do MAL e outros ineptos da mídia, prencipalmente os da RB$. Não ouvi (não dou ibope pra esses caras), mas, pelo que fiquei sabendo esse MAL tá precisando é de uma dura mesmo, aliás, nem deveria entrar mais na Ressacada. Está certo o Willian, os jogadores NÃO devem mais dar entrevistas a esse tipo de gente de baixo naipe! E enquanto isso tem blogueiro que ainda defende a RB$... é pacabánéô!!!

  1. miro disse...:

    é por isto que nosso time esta assim . o MIGUEL ESTA CERTO SIM TIME DE BAGACEIRA.ainda se acham no direito de achar ruim. willian e os demais nem DEVERIAM RECEBER O SALARIO FINAL DOMES.não produzem nada e AINDA SE ACHAM . JOGADORES BUNDAS MOLES.
    toca o pau neles mesmo miguel time se terceira divisão.

  1. Dinho, um representante da mídia não pode ter esta atitude. Ou se toma uma medida agora (já é tarde), ou ninguém terá moral alguma daqui pra frente.

  1. Miro, palavra de torcedor não pode se confudir com um profissinal de mídia. Ainda existe uma coisa chamada civilidade. Bom, é claro que isso alguns não entendem.

  1. Carlos Galdino disse...:

    Eu concordo que o Miguel errou, mas não posso acreditar que um comentário chulo e folclórico tenham prejudicado mais do que o trabalho de anos de diversos outros indivíduos mal intencionados. Miguel falou besteira, mas qual o avaiano são que não pensou que todo aquele aglomerado não era mesmo uma bagaceira? Tomando 2 a 0 do lanterna ao natural.
    Tem gente trabalhando a muito tempo contra o Avaí e são recebidos e tratados como lordes. Miguel errou, mas não errou mais que outros. E contra os outros, nada.

    Abraços!

  1. Galdino, a diferença é a latinha. Eu, tu, qualquer outro torcedor podemos. Ele, não. Uma coisa é ser torcedor, outra coisa é se valer de meios profissionais para demonstrar a sua insatisfação. Então sai de lá, porque se for nesse caminho eu também quero a minha vez para dizer algumas coisas.

  1. Carlos Galdino disse...:

    Concordo plenamente. Mas não vi nota de repúdio quando o DC insinuou que tentamos ganhar do Santos trapaceando. Ou quando Jean Balbinoti ficou insinuando coisas no Twitter sobre Avaí e Marcio Goiano. O Miguel é chulo, todo mundo sabe. Não estou defendendo, acho que se deve tomar medidas, mas concentrar as atenções nesse fato é desvirtuar a quase derrota vergonhosa de ontem. Poderíamos terminar a rodada na lanterna. Graças a Deus não foi assim.

    Abraços!

  1. Então, Galdino, foi o que respondi alí acima para o Dinho. Ou agem agora, ou se calem para sempre.

  1. Seu Cunha disse...:

    Meu caro Alexandre. O willian pediu apenas respeito é verdade.
    Mas e nós torcedores não merecemos?
    Por que correram mais no segundo tempo?
    Pois é meu caro, é nessas atitudes que constatamos que eles podem mais, mostraram isso depois de se sentirem ofendidos.
    Então vamos direto ao ponto, o adjetivo usado pra eles até foi suave pela constatação que no atual elenco não falta só qualidade ténica, mas muito mais carater e comprometimento com o clube e seus torcedores.
    Que eles nos respeitem, pois ficou provado que reagiram por indgnação e nesse caso temos é que agradecer o MAL. Se for pra repudiar, temos é que repudiar a atitude de um elenco formado por um bando de descarados.

    Abraços!

  1. Eles nos devem respeito. Concordo. Mas a nós que somos torcedores, à nação avaiana, aos investidores, ao campeonato em gerla. E não à imprensa. O papel da imprensa não pode ser esse. É aí que mora o perigo.
    Abre-se o precedente para que amanhã se peça para fulano não jogar, porque a imprensa não gosta, ou por algum outro interesse.
    Na semana passada o memso Miguel anunciou que o Rafael Coelho havia quebrado a perna de forma séria. E aí? E se um familiar ouve isso?
    Temos que exigir dos jogadores, cobrar, mesmo, de verdade. Mas, o limte de jogador para ser humano deve ser respeitado.

    O William tem história. No Grêmio a torcida pediu para que ele quebrasse a perna num jogo e aplaudia efusivamente quando ele saiu de maca. Quantos miguels livramentos havia na torcida?

    As pessoas estão passando dos limites e alguma coisa em algum lugar tem que parar. Futebol assim não tem graça.

  1. Avaí na Rede disse...:

    Alexandre, agora após ler sua postagem, entendo sua opinião com relação ao poder do microfone e a responsabilidade que se deve ter ao fazer certos pronunciamentos, isso é fato. Mas continuo achando que os jogadores, diretores e demais aspones avaianos devem se preocupar com o futebol dentro das 4 linhas! Bater na poderosa agora é desvio de foco e querer criar fato novo.

  1. Carmen Fuhrmann disse...:

    Aguiar,

    Tua postagem mais uma vez perfeita! Já estou chata e repetitiva com isso né? Porém mais uma vez, vou repetir o que sempre digo, somente os ouvintes podem acabar com isso. Pelo que li, se começar lá pelo Dinho, ninguém ouviu a entrevista do Willian - eu ouvi estava na Toca com o Marcos, quando ouvimos o desabafo do Willian - mas todos sabem do acontecido e porque? Estamos dando a eles uma importância muito maior do que a merecida por essa mídia. E sabes bem, que é assim que acontece, fale bem, fale mal, mas fale de mim. É assim que a RBS se propaga. Não precisa ninguém estar ligada na TV ou na rádio, mas todos sabem o que está acontecendo naquela emissora. Mas eles tem o maior índice de audiência, se temos a maior torcida, é porque estamos ligados por lá. Eu não tenho os números da audiência, acho que nosso amigo Gerson do Avaixonados deve saber. Estranho isso não? Então mesmo os que odeiam a rádio, que dizem não ter ouvido, sabem o que acontece por lá. Isso como já conversamos é cultural. Mas podemos dar um basta. Quanto Willian, já publiquei ontem as 20:30 está de parabéns, é isso que tem que ser feito: UM BASTA! Não sou a favor da RBS, mas penso que se os torcedores continuarem batendo na mesma tecla, mesmo NÃO ESTANDO SINTONIZADOS nela, a poderosa continuará chegando ao seu objetivo. Sabes bem como funciona isto. Portanto, o melhor a fazer agora é concentrar o foco no time e os jogadores idem, foco em VENCER. Essa será a melhor resposta para todos os que definitivamente dizem que o Leão morreu e que vai cair. Ainda acredito no Avaí, mesmo sabendo que a situação está difícil.
    E a vida segue! Abraços amigo.

  1. Avaí na Rede, também acho isso. O foco é o campeonato brasileiro, mas olhar a paisagem e não observar as árvores, é, com todo o respeito, tansice.

  1. Carmen, querida, leia o comentário que deixei no blog do Imperador Adriano. Talvez esclareça esse negócio de "dar audiência".

  1. "Pelo que li, se começar lá pelo Dinho, ninguém ouviu a entrevista do Willian"

    Carmen, não julgue o que você não tem certeza!!!
    Quem te disse que eu não ouví?????
    Porque ficas sempre tão nervosa quando o assunto é falar da RB$ ???
    Seria porque o teu cordão umbilical ainda não foi rompido???

  1. Anônimo disse...:

    È muito barulho em cima de nada, agora estão fazendo um auê sobre o que disse o Miguel, todos, em todos os blogs estão cansados de criticar (incluindo eu) o time, até o Willin já foi usado como judas, e agora?, agora estão mais uma vez varrendo o lixo para debaixo do tapete, o time é muito ruim sim, só se salva o goleiro Felipe, Lincoln e Willian, o Bruno serve para compor o Banco.
    E.t. quanto as criticas do Miguel como torcedor eu aceito, como profissional não, e nisso você tem razão Alexandre.
    Eron

  1. Olha, Eron, eu estou me decepcionando com um monte de gente. Com toda a sinceridade.

  1. Serjão Jr disse...:

    Aguiar, texto como sempre rebuscado e inteligente, mas de fácil entendimento. Isso é uma discussão sem fim, um papo para noite toda. Mas concordo, apesar mexer com os brios do jogadores, em nenhum momento um profissional pode deixar de ser profissional para ser torcedor de microfone na boca. Em "off", tudo bem. Afinal, esse é o pensamento de 99% dos torcedores Avaianos, mas ao vivo é inadmissível.

  1. Carmen Fuhrmann disse...:

    Dinho,

    O primeiro comentário é teu, e dissestes: Não ouvi (não dou ibope pra esses caras), mas, pelo que fiquei sabendo...
    Neste entendimento, sendo voce o primeiro, disse: Pelo que li, se começar lá pelo Dinho, ninguém ouviu a entrevista do Willian...

    Voce pergunta: Quem te disse que eu não ouví?????
    Voce mesmo disse isso, não foi? Assim como outros. Não fiquei irritada, pelo contrario voce que parece se irritar com os meus comentários.
    Eu já te falei o que achava. Nada disso que falo ou escrevo é direcionado a ti e nem para te incomodar.

    Aguiar,
    Eu li teu comentário e entendi, mas precisa mudar.

    Abraços

Postar um comentário

Os comentários aqui postados sofrerão moderação. Anônimos serão deletados, sem dó, nem piedade.
Não serão aceitos comentários grosseiros com palavrões, xingamentos, denúncias, acusações inverídicas ou sem comprovação e bate-bocas.
Não pese a mão. A crítica deve ser educada e polida.

 
Força Azurra © 2011 | Designed by VPS Hosts, in collaboration with Call of Duty Modern Warfare 3, Jason Aldean Tour and Sister Act Tickets